Siga-nos:        

Encontro do BID discute projeto de pesquisa sobre Federalismo e Desenvolvimento Regional

O pesquisador Fernando Rezende, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), apresentou nesta quinta-feira (28), durante reunião virtual do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), seu mais recente artigo: Federalismo e Desenvolvimento Regional Pós-Covid-19 e Reforma Tributária.

O trabalho será publicado pelo BID em uma coletânea de estudos sobre federalismo, que deverá servir de base para iniciativas e projetos dos estados. O encontro foi conduzido pela especialista líder fiscal do BID, Cristina MacDowell, e reuniu tributaristas, pesquisadores e representantes de entidades públicas e privadas.

O diretor-institucional do Comsefaz (Comitê Nacional de Secretários de Fazenda, Finanças, Receita ou Tributação dos Estados e do Distrito Federal), André Horta, representou o Comitê. Participaram ainda os professores e pesquisadores Francisco Lopreato, José Roberto Afonso, Clélio Campolina, Aristides Monteiro, Luiz de Melo, Fernando Abrúcio e Antonio Galvão; Adriano Subirá, da Receita Federal do Brasil; a presidente do Gefin, Célia Carvalho; e o auditor fiscal Eudaldo Almeida, ex-coordenador-geral do Encat, dentre outros.

Fernando Rezende explicou que o texto pretende avançar no debate sobre as atribuições e responsabilidades dos entes federativos, dentro de um contexto de debate da Reforma Tributária e política de desenvolvimento regional. O texto apresenta um histórico do debate tributário no Brasil, para permitir uma maior compreensão dos cenários e das circunstâncias em que o sistema tributário brasileiro foi pensado e implementado.

Em 1963, cita ele, foi criada uma comissão com especialistas para pensar o novo sistema tributário brasileiro, tendo a questão federativa como tema central, que resultou na criação do ICM (Imposto sobre Circulação de Mercadorias), em 1965. Mas foi a primeira e última vez que o sistema era pensado como um todo.

A política de industrialização na década de 1970 acentuou as disparidades regionais e a centralização de receitas, quadro agravado com a Constituição de 1988, que deixou o federalismo de fora da discussão. “Destruímos o desenho de federalismo feito em 1963. Não houve um novo regime federativo, mas mudanças nas responsabilidades, sem equilibrar a repartição de receitas”, observa ele.

O trabalho apresentado por Fernando Rezende analisa as mudanças e a evolução da economia nas décadas de 1990, 2000 e de 2010, cita temas como a abertura comercial, desindustrialização, crise fiscal e o boom das commodities, a crise de 2008 e a erosão da base de incidência do ICMS.

Para ele, o debate sobre a Reforma Tributária deve restabelecer o sistema federativo elaborado em 1963 e rever alguns pontos, como a redução do engessamento dos gastos, a melhoria da qualidade do tributo, a redução do contencioso, o novo pacto federativo, atenção às desigualdades regionais e sociais e investimentos em inovação e infraestrutura.  

Data: 2 de fevereiro de 2021

bucetas pentelhudas juraporn.com capa da pleiboi vídeos pornos grátis pornthclips.com video de menina estrupada no rio de janeiro porno tubidy daporn.mobi boquete da novinha pego no flagra porno jizzman.mobi travesti com lesbicas sauna fox em salvador goporns.info ator pornô famoso mulher babando umkatube.mobi porno guy livia andrade chupando tubepatrolporn.com baixar videos do racionais gordas lesbicas dotporn.tv coroas quente minha vizinha e muito gostosa mybeegporn.mobi www fotos de mulheres nuas anime hen vegasmpegs.com video mulher estrupada por 33 homens whatsapp videos novinhas penytube.mobi filme romântico com sexo rabao de macho joysporn.mobi negras fazendo sexo oral xvideos keisha grey ganstaporn.com vidios insesto lesbicas sexo oral monaporn.mobi hentai erotica animes para maiores de 18 anos dadaporn.mobi filmes menage bolero sobazo.com sony a7r iii